HISTÓRIA:

O Sável em tempos de grande abundancia, era vendido á posta, no mercado e porta a porta pelas casas da Vila, às mulheres dos pescadores estava confiada esta tarefa. As boas postas eram as que tinham melhor venda, assim restavam as cabeças, rabos e vísceras, “leitas e ovas”, e como diz o provérbio “a necessidade aguça o engenho”, eram utilizadas em confeções menos valorizadas e como havia alguma dificuldade em as vender, eram então utilizadas pelas famílias dos pescadores!... Nada se podia perder e assim com estas partes chamadas menos nobres se confecionava o arroz de sável. Este ganhou receituário e apreciadores entre as classes mais pobres.

 

PREPARAÇÃO:

Reservamos então a cabeça, o rabo, as postas menos nobres, as ovas ou leitas e o sangue que o sável soltou quando o amanhamos, ao que juntamos o vinho verde tinto e um pouco de vinagre.

Levar ao lume estas partes do sável em água temperada com sal,com meia cebola, uma folha de louro, um dente de alho e um pouco de salsa. Depois de ferver alguns minutos, tirar o sável e deixar arrefecer. Retirar o máximo de peixe possível e juntar novamente os restos das espinhas na água e deixar ferver em lume brando, assim vamos obter um ótimo caldo necessário para o arroz.

Num tacho fazemos um refogado com a cebola e o alho muito bem picadinhos, e juntamos o caldo, quando levantar fervura adicionamos o arroz, a meio da cozedura vertemos o sangue, o vinho e o vinagre, juntamos a pimenta miúda e cravinho, e as mílharas ou leitas, deixamos cozer mais um pouco e misturamos os bocados do sável que reservamos, retificar de sal e polvilhar de sala picada. Servir com calda abundante.

Pode servir também de guarnição às postas grandes de sável frito.

 

Ingredients

Directions

Arroz de Sável