HISTÓRIA:

De apontamentos antigos resgatei mais esta receita que consta em alguns livros de cozinha os mesmos de onde, há anos, tinha rebuscado a receita do “caldo verde de Valença”, que publiquei no jornal Valenciano sobre a sua etnografia e receita. Esse mesmo artigo deu origem à candidatura da nossa receita de caldo verde a esse concurso que, de uma forma transversal, arrecadou para o Vale do Minho, o reconhecimento de ter sido considerado uma das 7 Maravilhas da Gastronomia Portuguesa.

Depois de repassar novamente estes escritos reparei que nessa altura tinha deixado uma nota pendente, uma outra receita, que consta nesses escritos com o nome de “Caldo à Lavrador (Valença) ”. Facilmente se pode intuir que se trata de mais uma receita, de um caldo de origem valenciana.

Pela riqueza da nossa despensa, na variedade de hortícolas, complementada com a da salgadeira e fumeiro, nasceram grandes pratos e caldos pelos quais somos reconhecidos e já criamos marca!...        

É claro que a grandeza da nossa gastronomia vai muito além dos caldos. Certo é que os caldos, ou “sopas”, á parte de serem fáceis de elaborar!...

São literalmente, deitados para a panela!...

 

PREPARAÇÃO:

Cozer o feijão, previamente demolhados. No caldo de cozer o feijão, cozem-se as carnes juntamente com a cebola, o ramo de salsa e o azeite. Quando as carnes estiveram cozidas tiram-se do caldo.

Misturam-se, os feijões cozidos, a couve cortada aos bocados, o nabo em pequenos dados os macarrão e por fim, as carnes cortadas. Serve-se em bonita terrina de faiança.

“Casamento é uma refeição em que a sopa sabe melhor que a sobremesa”

Provérbio

 

Ingredients

Directions

Caldo à Lavrador (Valença)