HISTÓRIA:

Em Valença no Carnaval existe uma tradição que muito provavelmente remonta à fundação das suas principais associações recreativas: Assembleia Valenciana, Associação de Socorros Mútuos e Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Valença.

Na atualidade só os Bombeiros mantem esta tradição, até porque as demais associações já não existem.

É nos Bombeiros, que ainda hoje nos tradicionais bailes de carnaval, é possível beber uma taça de Cup!... Provavelmente a maioria desconheça o que é!...

Tenho que recuar cinco décadas para descrever a história desta bebida típica do carnaval valenciano.

 Bombeiros, Associação e Assembleia, celebravam o carnaval com galantes bailes, uns não faziam concorrência a outros!... Existiam elites, que se dividiam de forma natural. Estes bailes eram sempre animados por boas orquestras, muitas vezes da vizinha Galiza, que se alternavam tocavam em qualquer destas associações. Na realidade não havia promiscuidade, cada um sentia-se a gosto no seu meio sem necessidade de evadir os outros lugares, pois havia festa para todos.

 A Assembleia era para a aristocracia, a Associação para a classe média e os Bombeiros era considerado baile das criadas de servir e idênticas profissões.

Todos tinham bufete, onde se servia comida e bebida. Estas coisas sempre estão rodeadas de histórias e anedotas, ilustrando a sociedade valenciana de outra época no sentido mais puro!... 

Contam que um sapateiro chamado Malheiro que vivia na rua Direita, como se considerava com certo estatuto por confecionar sapatos para homem e senhora, frequentava os bailes da Associação. Tinha várias filhas e nos intervalos ia ao bufete com a sua esposa, fazendo-se acompanhar das suas donzelas, quando aí chegava, dizia!...“Ora faça favor!... Cafeses para nozes e bolos prás piquenas ”. Os que não tinham orçamento para se chegar aos camarins para a tradicional arrozada de lampreia, iam prevenidos de casa com um cesto que transportava uma espécie de merendeiro. São muitas as histórias associadas a estes acontecimentos.

Mas na realidade o que é uma taça de Cup?...

Existiram grandes especialistas na confeção desta tradicional bebida. O que mais permanece na minha memória é o Zé Maluf, era ele que revisava toda a preparação, assim como fazia a combinação das quantidades corretas, tanto na Assembleia, na Associação como nos Bombeiros. Ele era na verdade um expert nesta matéria.    

Cup!... É uma bebida á base de vinho branco, á qual se junta tríplice seco, brandy, vinho do Porto e uma seleção de frutas: ananas, laranja, pêssego em calda, maça e banana, tudo meticulosamente laminado em forma de pequenos cubos, onde se utiliza uma técnica que requer destreza. A fruta deve ser laminada com uma faca muito fina de madeira, isto era antigamente, porque hoje temos as facas de porcelana; a laranja requer arte, deve ser cortada só o coração, isto é, isenta de qualquer parte branca; a banana deve ser a última fruta a ser incorporada, já que a oxidação é muito mais rápida; adicionar açúcar quanto baste e deixar repousar pelo menos 6 horas; antes de servir, adicionar sifão ou água com gás, mas há quem utilize refrigerantes como 7UP ou SPRITE.

Serve-se com concha, remexendo continuamente, de forma que se sirva uma quantidade de fruta em cada taça, que deve ser as de estilo vintage de champagne. 

 

PREPARAÇÃO:

Seguir as indicações atrás descritas. Antigamente fazia-se numa talha de barro vidrado no interior. Podemos usar um pirex ou um recipiente plástico.      

 

Ingredients

Directions

Uma bebida com tradição em Valença